O pós-jogo no Barradão foi de muito protesto por parte da diretoria do Bahia, que reclamou da atuação do árbitro potiguar Caio Max Augusto Vieira no Ba-Vi vencido pelo Vitória por 2×1, nessa quinta-feira (27), jogo de ida da semifinal da Copa do Nordeste. O vice-presidente tricolor, Pedro Henriques, contestou as entidades organizadoras da competição. “A gente precisa se alinhar com quem, votar pelo quê? Parem de prejudicar o Esporte Clube Bahia”,disse.

O principal motivo do protesto foi a expulsão do atacante Gustavo aos 19 minutos do 1º tempo, após uma dividida com Kanu. Apesar do braço estendido, o atacante do Bahia não agrediu o zagueiro do Vitória, que caiu no chão como se tivesse levado um soco no rosto.

Henriques questionou esta e outras decisões do árbitro no caráter disciplinar, já que, durante o clássico, as imagens de TV flagraram jogadores do Bahia sendo agredidos por atletas do Vitória e o árbitro ou mostrou cartão amarelo, como na cotovelada de Kanu em Lucas Fonseca enquanto a bola estava parada, ou não marcou falta, como no chute que o lateral rubro-negro Geferson deu nas costas do volante Edson quando os dois disputavam uma jogada no ar e no carrinho do zagueiro Fred no meia Allione.

O dirigente convocou a torcida do Bahia para o Ba-Vi de domingo (30), às 16h, que decidirá um dos finalistas da Copa do Nordeste e será com torcida única na Fonte Nova.

Informações: Correio

Foto: Bahia no ar