Um repasse de verbas destinado à prefeitura e a professores da rede municipal de ensino vêm causando problemas na cidade de Feira de Santana (a 109 km de Salvador). Segundo denúncias de professores e populares, cerca de 13 professores estão ocupando a sede da prefeitura sem água e energia e sob vigilância da Guarda Municipal desde às 18h desta terça-feira, 25. Os banheiros também foram trancados para uso.

Segundo uma professora da rede privada e amiga dos professores municipais que ocupam o local, tudo começou após o prefeito Colbert Martins Filho anunciar que não iria realizar neste momento, o pagamento do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (FUNDEF). De acordo com a professora, cerca de 60% do dinheiro pertenceria aos professores.

Após saber da informação, o grupo teria ido até a prefeitura para protestar contra a decisão do prefeito, e então, sido trancado ao final ao final do expediente em uma sala do local, privados de luz, água e acesso aos sanitários. Ainda segundo a professora, não houveram aulas na rede municipal, também em manifesto.

Segundo populares que estão no espaço, os professores tentaram contato com o prefeito, que informou não ter tempo para atendê-los nesta terça. Eles possuem a possibilidade de sair do prédio, porém optaram por ocupar o local em busca de ter uma negociação do prefeito, que ainda não deu um posicionamento. O advogado da Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), Max Ataíde, está em frente a prefeitura em busca de agendar uma audiência com o gestor.

A Tarde