O comandante-geral da Polícia Militar da Bahia, Coronel Anselmo Brandão, negou que o policial militar Gustavo Gonzada da Silva, torturado e morto no bairro de Santa Cruz em Salvador, tenha tido o coração retirado de seu corpo pelos bandidos. De acordo com Brandão, a notícia é “fake news”. “Não procede”.

Acompanhamos todo o levantamento cadavérico. Houve sim mutilação, mas não houve extração do coração do corpo”, afirmou o comandante em entrevista à Record nesta segunda-feira (11). O policial ainda afirmou que irá trabalhar para encontrar os envolvidos na morte do PM.

“A tropa está bastante triste. Não vamos descansar até encontrar esses elementos. “Temos que ter equilíbrio e serenidade. A gente pede equilíbrio da tropa. É uma situação que machuca, me sinto hoje bastante triste. Mas não podemos baixar a cabeça”, sustentou.

Fonte: Bahia Notícias